Ao lado de um amplo armazém feito de chapas de metal, vocês podem ver caixas marcadas com o logo da Agência em uma vegetação que se estende pelo local.  Em cima do palco improvisado, vocês correm os olhos pela assembleia composta exclusivamente por membros da Agência.

Estão todos olhando para vocês.

A multidão é silenciosa. Se não fosse pelo farfalhar do vento, daria para escutar um alfinete caindo no chão.

 

Visivelmente ansiosa, Tess Heiden começa a falar, direcionando seu discurso aos sobreviventes da Agência T.I.M.E:

 

(Para fins de dramatização, entregue este dispositivo para a pessoa que estiver jogando com a Tess para que o texto abaixo seja lido em voz alta. Se Tess não estiver na partida, escolham outra pessoa para a leitura.)

— Olá, Agentes! Acho que essa é a primeira vez que nos reunimos no mesmo lugar, e ao mesmo tempo, desde... desde a queda da Agência. Então é chegada a hora de avaliarmos nossas operações... E eu não vou mentir: nós estamos mal. Muito mal.

 

Gastamos muito Azrak, nossa eficiência durante as missões é uma piada e, na maioria das vezes, nós escolhemos a saída mais fácil. Se queremos impedir os Elois de modificar os fios do tempo e, além disso, garantir a integridade do mundo como o conhecemos, devemos nos concentrar. Devemos nos livrar de toda a futilidade.

 

Todos nós temos responsabilidades. Em nossa antiga Agência, não tínhamos que nos incomodar com coisas como logística, segurança ou o meio ambiente. Vivíamos em casulos graças às máquinas e dos empregados do Consórcio. Nossa única preocupação era sair em missões, voltar, levar uma bronca do Bob e ir beber no Luz Vermelha.

 

Mas, agora, temos que dar conta de tudo, e não apenas no passado ou em uma realidade alternativa. O futuro está se desenrolando diante de nós, aqui e agora. O futuro será moldado pelas nossas ações de hoje.

 

Então, pelo bem de todos os agentes ativos, acordem! Sim, nós todos estivemos muito ocupados, sabemos que deveríamos estar melhorando, mas verdade seja dita: nós não tivemos nenhum resultado significativo. Temos que melhorar. Se não, assinaremos nossas próprias sentenças de morte. O tempo ainda está sob ameaça. Nossa missão começa agora. Acordem!

 

Quando Tess deixa o palco, sem nem mesmo olhar para seu público, o silêncio incômodo se intensifica ainda mais. Atordoados com o discurso dela, a multidão de agentes começa a se dispersar sem fazer barulho, as últimas palavras de Tess ecoando em suas mentes... “Acordem!”.